LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

MIA2 - Monitorização inteligente da Agrodiversidade nos Agrossistemas

Projeto estruturante: Agro+ITec, Agrossistemas 4.0: Monitorização inteligente da agrodiversidade nos agrossistemas, a fim de alcançar resiliência e sustentabilidade dos sistemas de produção alimentar face às alterações climáticas e globais

No âmbito da linha de Ação MIA2 – Monitorização Inteligente da Agrodiversidade nos Agrossistemas – o ISOPlexis, Centro em Agricultura Sustentável e Tecnologia Alimentar desenvolve investigação, visando a monitorização das condições da agrodiversidade nas explorações agrícolas. Esta monitorização permite obter informação quantitativa e qualitativa sobre as componentes biofísica, biológica, agronómica e antropogénica, detetando variações na condição e produtividade do agrossistema. 

O objetivo final desta linha é avaliar a resiliência dos sistemas de produção alimentar aos constrangimentos ocasionados, em especial, pelas alterações climáticas e maximizar os serviços assegurados pelos agrossistemas na adaptação climática e sustentabilidade das cadeias curtas de abastecimento alimentar e de mercados locais de modo otimizado e direcionado. 

Esta linha de Ação enquadra-se na Estratégia Regional de Especialização Inteligente (EREI) da Madeira para os domínios da Agricultura e Biosustentabilidade e estratégia transfronteiriça para o Espaço da Macaronésia. 

No âmbito da linha MIA2, o projeto estruturante designado Agro+ITec utiliza uma metodologia desenvolvida pela equipa para avaliar a influência das condições agreoecológicas na condição e estado dos agrossistemas, utilizando como referenciais o Agrossistema Modelo Padronizado (AMP) e os cenários climáticos da Estratégia Clima-Madeira. As informações são geradas pelo processo de amostragem e monitorização dos indicadores de qualidade dos agrossistemas e da agrodiversidade, e pela recolha de informação sobre os Indicadores de Sustentabilidade dos Agrossistemas (ISA). O projeto utiliza ainda técnicas de Sensoriamento Remoto, ou seja, por monitorização inteligente, utilizando para tal a drones, sensores e imagem de satélite para modelar as condições e comportamento dos agrossistemas e das culturas, definindo medidas de adaptação climática ou maneio inteligente dos recursos nos agrossistemas. 

Adicionalmente, são ensaiadas e avaliadas as técnicas de mitigação dos impactos climáticos e/ou ambientais, através da utilização de técnicas de maneio da agroecologia e agricultura biológica, e da utilização de resíduos e subprodutos da atividade. 

Este projeto enquadra-se na estratégia do Prado ao Prato do Pacto Ecológico (Green Deal), e encontra-se alinhado com a meta de construção de sistemas de produção alimentar resilientes, que promovam a sustentabilidade das cadeias de abastecimento. 

Os estudos desenvolvidos pela MIA2 são realizados em colaboração com parceiros regionais, nomeadamente agricultores, serviços da DRA e da ARM, as Universidades dos Açores e de La Laguna (Canárias), e os centros de investigação CITAB (UTAD) e IPNA Espanha).

A linha MIA2 apresenta conexões e sinergias com outras linhas de investigação do ISOPlexis em particular as linhas C2DA e 3B, dado que nestes estudos têm sido envolvidas culturas típicas da Madeira, e variedades e recursos genéticos “endógenos” [regionais], e diferentes tipos de resíduos e subprodutos das explorações. Estes estudos são de enorme importância e atualidade, tendo em consideração as alterações climáticas em curso. 

A investigação da linha MIA2 e o seu projeto estruturante Agro+ITec têm sido desenvolvidos através de financiamento dos programas operacionais Madeira 14-20, INTERREG B, PCT-MAC e PRODERAM2020.

SUBLINHAS


Monitorização dos agrossistemas

Monitorização dos agrossistemas, que inclui a recolha periódica de informação relativa às condições agroecológicas e climáticas, estrutura do agrossistema, culturas agrícolas e recursos genéticos associados, indicadores de produção e sustentabilidade, práticas agrícolas utilizadas e modos de produção. Os conhecimentos sobre os processos e dinâmicas que afetam os agrossistemas regionais, e a recolha de dados e informação permitem, de forma “preditiva,” avaliar o impacto das alterações globais sobre a agrodiversidade, a sua estrutura, produtividade e qualidade.


Modelação e agricultura de precisão

Modelação, zonamento, avaliação inteligente e monitorização fenológica das culturas e cultivos, através da utilização de novas ferramentas na análise e avaliação dos agrossistemas. Estas baseiam-se na utilização de sensores e equipamentos de precisão na aquisição e análise de informação in loco, com o objetivo principal de verificar as alterações que ocorram num determinado agrossistema, consoante as variáveis ambientais. A utilização destas ferramentas e metodologias na análise e avaliação dos agrossistemas é uma tendência que se impõe no meio rural, sendo fundamental para auxiliar um maneio mais sustentável dos agrossistemas e das suas culturas ou simulação de novos cenários face as alterações climáticas.


Indicadores de qualidade

Monitorização da qualidade dos agrossistemas, através da utilização de indicadores qualidade, inomeadamente físico-químicos, microbiológicos do solo, florísticos e faunísticos. A compreensão da dinâmica destes indicadores permite avaliar os serviços ecológicos dos agrossistemas, a influência do terroir na qualidade das produções agrícolas e a sustentabilidade e resiliência dos agrossistemas face às alterações globais, sendo utilizados no desenvolvimento de modelos de avaliação. Estas atividades são desenvolvidas isoladamente ou em coordenação com as linhas de Recursos Biológicos.


Adaptação dos agrossistemas às alterações climáticas

Desenvolvimento de sistemas de produção de alimento multifuncionais, sustentáveis, inclusivos e resilientes, que promovam os serviços ecológicos e de provisionamento, através da conversão dos sistemas agrícolas convencionais, utilizando em modelos mais sustentáveis. Utilização de técnicas e princípios da Agroecologia, Agricultura Biológica, Permacultura, Agricultura Sintrópica e da Agrodiversidade local, com utilização de culturas subtropicais e variedades locais, visto que, as mesmas possuem como fundamento principal a sustentabilidade dos agrossistemas. Até ao final do século XXI a agricultura da RAM sofrerá eventos extremos, como temperaturas extremas, ondas de calor, seca e radiações elevadas e terá de se adaptar a estas alterações, garantindo a produtividade e resistência dos agrossistemas, a manutenção do território e a segurança alimentar, sendo a sustentabilidade um fator preponderante para a diminuição dos impactos das alterações climáticas. 


PROJETOS

  • CASBio - Avaliação e monitorização da Agrobiodiversidade e da Sustentabilidade dos Agrossistemas nos novos cenários climáticos+ INFO
  • VERCOCHAR - Vermicompost, compost y biochar, herramientas para la adaptación al cambio climático, la prevención y mitigación de los efectos derivados de los riesgos naturales en el medio agrícola y forestal+ INFO
  • APOGEO MAC - Agricultura de precisão para o melhoramento da produção de vinho na Macaronésia+ INFO
  • CUARENTAGRI - Investigación, identificación, análisis de riesgo, formación y sensibilización sobre potenciales plagas de cuarentena y plagas reguladas no de cuarentena en los principales cultivos de las regiones de estudio+ INFO
  • MADEIRA-OPUNTIAS: Plano de acção para o desenvolvimento da cultura da tabaibeira na RAM, visando a sua recuperação e preservação, e a valorização da produção e dos seus derivados no mercado regional+ INFO

ISOPlexis

Universidade da Madeira
Campus da Penteada
9020-105 Funchal - PORTUGAL 

https://isoplexis.uma.pt
facebook.com/isoplexis.centro
Tel.: +351 291 705 000 ext. 5408

Copyright © ISOPlexis 2007 -